Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquela Runner Obcecada

Aquela Runner Obcecada

É o caos e o terror, mas fui à BOSH

Bem, já estaria morta se não viesse aqui. Muitas vezes estes últimos tempos tenho pensado em publicar, mas quando a vida corre mal, não se consegue escrever nada em condições.

 

Hoje vim fazer um breve resumo do que se tem passado na minha vida, assim por alto.

 

O facto de estar desempregada tem me deixado mal psicologicamente porque sou uma pessoa activa. Então quando não se recebe subsídios a coisa fica agreste . Felizmente consegui arranjar uma espécie de part time para duas semanas, porque eu sou o tipo de pessoa, que faz quando tem de ser mesmo que isso me esgote fisicamente. Voltei a um café, no qual trabalhei há 4 anos, são uma segunda família e foi o meu primeiro emprego a sério. Fui para lá após ter desistido do curso em que ingressei em Coimbra. Um após após voltei para a Universidade e guardei com carinho estas pessoas.

Como o trabalho lá é frenético, comecei a entrar em modo piloto. Sofro de ansiedade e às vezes o stress e a correria fazem com que perca o apetite. Na primeira semana treinei bem e com cabeça, mas alimentação zerinho. uma verdadeira vergonha e na semana a seguir só veio a piorar.

 

Mas em jeito de resumo...

 

Semanas antes bati com o carro do meu namorado, empenei a lateral e risquei o carro. Tinha um carro, o meu opel corsa que decidi vender com o intuito de arranjar o do meu namorado, uma vez que acho que não faz sentido ter tantos carros e andar em dois diferentes. Por casualidade, calho-me conseguir fazer umas horas nesse café, e pedi ao meu patrão uma opinião sobre pessoas que fizessem trabalho de pintura e chaparia com preços acessíveis, o qual me disse que havia um rapaz que fazia preços muito acessíveis e que trabalhava bem. 

Ora eu andava com uma nota de 500 euros no carro, a qual era para pagar um tratamento dentário e para ir às compras, que foi ficando no porta luvas pois nunca encontrei a dentista. Numa segunda feira consegui falar com o tal rapaz que fazia a chaparia, que me acompanhou a ver o estrago para dar um orçamento... Disse que desempenar a lateral seria 20 euros e não mais que isso e eu disse-lhe então para levar o carro e fazer isso na oficina... Não me lembrava da nota de 500 euros no porta luvas...

 

Veio me trazer a chave do carro (felizmente). Desempenou a lateral sim senhor. Mas não cobrou nada, o que achei muito estranho. Mas como costumo simpatizar com os clientes, achei que fosse um gesto dele em não cobrar...

 

Quando sai do trabalho e fui às compras, fui tirar a nota do porta luvas... A qual (misteriosamente desapareceu). Sim porque o dinheiro tem pernas e foge dos donos. É só somar A mas B e temos um culpado, mas não existem provas, o que torna tudo mais difícil.

 

Expliquei esta situação, porque se passou na semana da prova da Bosh, a qual eu andava empolgada e feliz. A Carla Martinho ia de pacer e ia com a intenção de a acompanhar, mas esta semana foi difícil para mim a nível psicológico. Após este incidente, após ter sido ameaçada pelo sujeito (sim fui ameaçada), ter descoberto que afinal não era de confiança, o meu mundo desabou. Estar sem trabalho, ter vendido o carro com a intenção de ter alguma margem de manobra para poder viver enquanto não arranjava trabalho e ficar sem metade do mesmo fez -me ir abaixo. Se na primeira semana andava sem apetite, na segunda andava ainda pior... Perdi peso sim, perdi algum rendimento. Senti-me cansada, chateada, deprimida mas mesmo assim decidi ir à corrida da Bosh. Disse para mim que não era naquele dia que faria 40 minutos. Disse à Carla quando me apanhou que não ia fazer 40 minutos. Estava esgotada. Física e psicologicamente e por alguns momento durante a prova não pensei em marcas ou tempos, apenas reflecti sobre a vida e sobre o que aconteceu. Dificilmente consigo esquecer isto facilmente... Foi um golpe. Não tanto pelo dinheiro, mas pela maldade das pessoas,porque quando confrontei o rapaz referente ao dinheiro disse-lhe que era o único que tinha, que estava desempregada... Mas infelizmente nada disto o demove de confessar o que fez, para mais decidiu-se no direito de me ameaçar que me partia o focinho e prometeu-me umas facadas e que ainda traria a GNR ( ameaçou a mim e a um senhor que estava no café e me defendeu).

 

Hoje o post é uma espécie de desabafo, mas é um alerta. Eu sei que confio demais nas pessoas. Após ter tido anorexia a confiança desvaneceu, pois muitas foram as pessoas em quem confiava que fugiram de mim e ainda me destratavam nas costas. Confiar? Em quê? Nem na própria sombra quanto mais. A maldade está presente em cada esquina, em cada pessoa que achamos ser a melhor do mundo... Eu confiei e agora sofro com isso. Estive duas semanas a trabalhar quase como em vão, pois o objectivo era ganhar algum sustento, e não perder... Em duas semanas não recuperei nem metade do que perdi... 

 

A corrida da Bosh, com muita pena não cumpri o que me propus. Na semana do caos, os meus treinos foram todos muito difíceis de fazer.Não fiz com vontade e brio, fiz por fazer com mágoa, e com raiva. Sem energia, sem apetite, sem vontade. Desmotivada. Cheguei a pensar que ia à prova e fazer uma bela "merda", peço desculpa a linguagem, mas não. Não fiz merda, não sofri. Desde o inicio da prova tentei abstrair-me com os animadores, com os meus colegas, com o facto de saber que o meu pai ia experimentar pela primeira vez uma prova. Ri muito. Fisicamente tinha muitas dores, porque a meio da semana decidi fazer um treino desajustado, fiz insanaty e paguei caro, pois fiquei com muitas dores. No domingo da prova senti muitas dores e também decidi não forçar. 

Apesar de alguns contratempos (a prova demorou meia hora a sair), comecei bem. Arranquei com um sorriso e terminei com um sorriso. Comecei a 3'45 e garanto que não me faltou pulmões, faltou-me vontade e faltou-me um pouco de bem estar. Não queria puxar, não queria sofrer muito. Queria pensar na vida e nas coisas. Porque estava ali a correr após o azar que me tem perseguido? Quando sai da cama, sabia que não tinha vontade. Não tinha motivação para ir. Mas fui. Porquê? Porque na vida há que saber cair e saber levantar, eu aprendi da pior maneira o que é cair e ter de me levantar de seguida para procurar alguma paz comigo própria.

mimi.jpg

 

 

O meu conselho a vocês que também tem azar na vida. O azar vem em todas as formas e feitios, mas a sorte também e a vossa vida depende dos momentos maus ou bons. Se não fossem os maus acontecimentos que tipo de personalidade teríamos? Por certo não seriamos resistentes à dor, não saberíamos como lidar com a morte, não saberíamos continuar em frente. Se tudo na vida fosse perfeito, seriamos uns meros robots, moldados para viver a vida de determinada maneira, iguais sem individualismo. O que nos molda, o nosso carácter é a capacidade que temos em enfrentar a vida, em poder experienciar desafios, em ser feliz, em gozar a vida e porventura passar maus bocados... Eu já passei por muitos maus bocados, e estar a mencionar tudo teriam uma imagem de mim muito diferente, de uma pessoa revoltada com a vida, mas ao invés disso, prefiro encarar as coisas com um sorriso e ser contagiante... Ter trabalhado no café há uns anos e ficarem felizes pelo meu temporário regresso foi enriquecedor. Pois ainda existe pessoas a quem devemos um sorriso e uma alma cheia. 

 

Sobre a prova:

-fiquei em 6 º lugar no feminino;

-115 no geral

-42 minutos

-ritmo médio 4'16

-RP aos 5 km com 20 minutos

 

Sorri muito e na meta ainda consegui ser croma e dizer a um animador " Não me apetece correr mais, estou cansada" -isto brincando

batata.jpg

 

 

 

Se a vida te empurra para baixo, faz algo por ti, levanta-te, novas oportunidades virão, enquanto elas não vem, sorri aos idiotas que te empurram e vive pois o karma encarrega-se de castigar os idiotas.

casa.jpg

 

 

 

 

Vamos falar da Wings?

Boas pessoal.

 

Já venho tarde e em más horas, mas ultimamente tenho andado muito atarefada. Hoje de manhã ainda estava na cama e ligaram-me para trabalhar, nem almoçar deu, deu deu às 18:30. Mas não vou dar desculpas. Hoje vim falar da prova global de ontem, a qual eu tive o privilégio de participar, graças à Sandra que desistiu e por isso pronto lá fui eu correr com um dorsal mal impresso. 

 

sandra.jpg

Prazer sou a Sandra :D e ao km 21 era a Lídia ahahah 

 

Resumidamente a prova ocorria em simultâneo em vários países, com diferentes condições atmosféricas, de dia ou de noite. No nosso caso, Portugal partiu ao meio dia, com um clima entre a chuva forte e algum sol e muito vento. As receitas da Wings ( ou seja, o valor das inscrições, são destinados a encontrar curas para as doenças da medula espinal). Antes de ter o acidente de kart conhecia a prova e tinha curiosidade em participar, mas após o incidente, que resultou nas fracturas na coluna e pressão na medula, fiquei ainda mais tentada a fazer a dita prova. Na altura nem pensava em estar no Beira-Mar,não pensava correr a menos de 5'00/km ou mesmo menos de 4'00/km. Nunca na vida pensava nisso. Quando estava no hospital, sem me poder mexer só pensava se voltaria à vida normal, se podia ir ao ginásio, se podia correr... Basicamente antes de ser operada sentia medo. Tinha pânico de acordar sem poder mexer as pernas. O dia da operação foi surreal para mim...Lembro-me de estar a levar anestesia e a Sra. a administrar  a anestesia me perguntar como tinha arranjado tal carga de trabalhos...

Eu disse: " É o que dá não ter travões."

E ela : "Vais ficar bem. Já agora que unhas tão giras! "

Eu: "Sim, foram a única coisa que não partiram no acidente, a rap....

 

E adormeci. Foram algumas horas de operação... Quando acordei, lembro-me de estar numa superfície gelada e a escorregar... Mas lembro-me de mexer os dedos dos pés. Emocionei-me. Comecei a chorar de alegria, mas ainda meia anestesiada, a chamar pela minha mãe e pelo meu namorado. Estava feliz, Estava a mexer os pés e sabia que ia andar.

 

O caminho a percorrer foi difícil, demorei uma semana a aprender a caminhar, a sair da cama de forma correcta, a usar um colete... Devo dizer que insisti muito em chatear o fisioterapeuta e ainda bem que o fiz, porque no final da semana estava a receber alta.

 

Não querendo estar a falar do processo todo, quero explicar porque fui à Wings. Eu estive pertinho de não voltar a andar. Para mim teve muito significado. Fui fantástico ver pessoas a ir de cadeiras de rodas, foi surreal. Eu fui com a minha "prótese" que não me impede de correr. Não me impede de ser feliz nem de calçar sapatilhas e fazer bons tempos. Estou longe do que quero ser como atleta. Ainda tenho muitos km a fazer, mas posso sonhar?

la.jpg

 

 

Disse desde a altura que fui inscrita, de que o objectivo eram 30 km e não mais que isso. Para mim ir ontem foi um treino. Fiz os 10 km a voar e os 21 km a voar, resultado de bom descanso e treinos variados. Há muitas coisas que tenciono melhorar, e isso começa num treino estruturado. 

 

Em todos os km me senti bem, a organização foi fantástica, parei em quase todos os abastecimentos, só não consegui comer, mas água, essa nunca faltou. Açúcar teve de ser de redbull porque mastigar era assim impossível, não consigo mesmo. Fiz uma pausa estratégica, parei na casa de banho, pois na partida não fui largar águas, xp só encontrei um wc aos 11 km penso. 

 

Foi um treino na medida em que não senti que sofri, não ia chateada, não ia preocupada com tempos, nem tão somente ia preocupada de parecer mal nas fotos. A minha meta eram 30 km de forma confortável. Houve pessoas a dizer que eu faria 42 km . Não faria. Primeiro porque iria sofrer muito para o fazer, segundo porque não era um objectivo que tivesse, fazer maratona nesta prova, terceiro, eu conheço as minhas limitações e 42 km ainda não é distância que consiga atingir para já. Para que conste só fiz 30 km uma vez por acaso e esta foi só a segunda vez. Fiquei satisfeita com a média 4'49 km , sabendo que parei na casa de banho, que parei nos abastecimentos e que parei para apertar os atacadores duas vezes (sim os malditos teimavam em chatear). Como disse a preocupação não eram tempos e sim a distância.

happy.jpg

 

Fui com um Sr. nos últimos 10 km. Basicamente fomos ao reboque um do outro. Já ia a correr para a média de 5'00/km, porque o carro ia longe e o vento estava forte como tudo. Achei piada a ele dizer que era a primeira vez dele a correr tantos km e ainda bem, grande conquista. Há ciclistas a dar-lhe bem nas sapatilhas. Começou a chegar a animadora a dizer que o carro meta ia chegar, já estava nos 29 km e tinha de ir aos 30 km.Olhei para o relógio e reparei que estava um pouco diferente das distância, então sabia que tinha tempo antes de o carro me apanhar, de facto quando cheguei aos 30 km, o carro demorou dois minutos para chegar, já eu andava a rolar de retorno à calma. 

 

30, 06 km foi a minha distância percorrida e os resultados seguem aqui em baixo.

Portugal : Categoria : 1º lugar

                  Geral Feminino : 11º lugar

Mundial :  Categoria: 35 º lugar

                  Geral Feminino: 290 º lugar

 

Geral (Portugal e a nível mundial ): 3399 ( num total de mais de 100.000 mil atletas a correr em todo o mundo).

 

resultados.jpg

 

Posso dizer assim, foi um treino em peras.

 

O mais valioso da prova, foi a sua localização, ser no Porto, com paisagens lindíssimas, multidão fantástica,voluntários muito prestáveis, muita animação, uma equipa fantástica e pessoas que tive a oportunidade de conhecer, mesmo que só por breves instantes ( a Ritinha Costa e o Bruno o sr. dos M&ms) .Todos com objectivos diferentes. Foi fantástico em Portugal termos uma mulher a subir ao pódio a nível mundial no terceiro lugar, com uma marca de 58,80 km, que um dia se chegar à idade dela quero fazer. Muito treino até aos 36 anos ^^. António Sousa num fantástico 7º lugar masculino. Não posso negar a incrível força da Japonesa que ganhou, com uns incriveis 65 km. Mulheres, cada vez mais a mostrar o poder feminino. 

 

Foi a minha primeira vez, com um objectivo, treinar, correr sem neuras, sem me chatear muito, a rir-me, a cantar com o Miguel "Ela não anda, ela desfila ..." E parabéns ao Miguel que me pediu reboque e acabou por fazer mais do que queria. Conheci muita gente, ri muito, e sai de lá com um sorriso. Tenho pena que um dos meus colegas se tenha lesionado e não poder me acompanhar, mas para o ano há mais com uma meta maior.

 

Um resumo, uma equipa fantástica, uma cidade maravilhosa e cheia de vida e pessoas a correr por uma causa nobre. A quem nunca fez, que se inscreva. No próximo ano será a 7 de Maio, as inscrições estão abertas, e espera-se que se supere este ano. Angariou-se mesmo muitos milhões de euros!!!

 

A toda a gente que acha que não consegue correr, pensem naqueles que não podem, aqueles que quase ficaram sem essa sorte... A quem nunca pode correr desde o nascimento... Por todos aqueles que lutam de forma a conquistar grandes feitos, como ontem vi um sr. de cadeira de rodas que chegou ao km 35! A vida não tem impossíveis, somos nós que criamos dificuldades nas coisas, só depende de nós mudar as coisas, arranjar soluções e não desculpas.

 

Peço desculpa pelo post longo, peço desculpa. Mas estou emocionada. Em 31 de Agosto faço dois anos que corro com titânio nas costas e vou-me superando, porque eu sonho em ser a melhor versão de mim própria, provar que mesmo com dificuldades tudo se consegue. Não compito com ninguém. Se gostava de ser a Dulce Félix, a Carla Martinho, a Vera Nunes, a Sara Moreira e tantas outras mulheres de topo, gostava pois, admiro-as imenso, mas não compito com estas meninas incríveis, mas sim comigo própria. 

 

Um grande obrigada ao Beira Mar Atletismo que me acolheu e tem sido uma família para mim. Obrigada mesmo.

equipa.jpg

 

 

E por hoje é isto. Desculpem a maçada 

 

*****

 

Coisas que acontecem quando desmotivam e param de se preocupar

Bom dia maltinha

 

 

rosa.jpg

 

 

Ando mega desaparecida, mas por boas razões e por más também como tudo. Mudanças, procura de trabalho, treinos. Ás vezes não há energia suficiente para pensar já à noite que é quando tenho tenho para escrever. Se for para escrever, que seja algo em condições e não meras palavras, pois não foi para isso que criei o blogue. Tentarei ser mais activa claro e potencialmente irei continuar a tentar acabar o livro que comecei há uns anos sobre o problema que tive . (sim eu comecei um livro e sim já tem capítulos)

 

Hoje decidi abrandar a procura de trabalho, pois espero uma potencial entrevista de um doutor, e vou fazer figas para ter sorte, pois ultimamente ela desapareceu. Mas há que ser positivos. 

 

Hoje venho falar sobre uma coisa que acontece a toda a gente. 

 

Estilo de vida reúne as seguintes condições para mim:

-comer bem, comida saudável sem grandes restrições e sem fundamentalismos;

-fazer deporto;

-dormir bem;

-ter um bom ambiente de trabalho:

-ter vida além do estigma SER SAUDÁVEL;

-ser feliz;

-ter amor-próprio;

-energia...

etc...

 

No entanto, mesmo apesar de nós gostarmos de praticar desporto, há sempre uma altura em que começamos a ficar cansados e desmotivados. Antes que isso vos aconteça, digo o que acontece, quando decidem desistir um pouco de se preocuparem e deixarem-se ir pelo ritmo frenético da vida do comum mortal:

 

1) Os níveis de açúcar no sangue disparam

Existem estudos, que explicam que quando a pessoa acaba de comer, o nível de açúcar no sangue aumenta e isso acontece com o objectivo de se armazenar glicogénio nos músculos para ser usado como fonte de energia. Se a pessoa optar por ser sedentária, imaginemos, estão 5 dias só a comer de papo para o ar, não gastam o glicogénio, claro que a taxa de glicose começa a aumentar e o risco de terem problemas cardíacos e ficarem mais propensos a ter diabetes. Por isso, mesmo que a preguiça vos ataque, façam uma caminhada de 30 minutos para manter o corpo em movimento, mais vale pouco movimento que nenhum.

2). Cansar-se com muita facilidade

Um exemplo prático. Quantos de vocês têm férias ou vão de férias, após retornar ao trabalho sentem-se mais cansados. O ideal das férias é o descanso, óbvio, mas quando voltamos a trabalhar, até voltar ao ritmo demora. O mesmo se passa se não fizerem desporto. Isto acontece porque o VO2 max. diminui em 20 %. E o que é esta sigla, esperem que digo já. É o volume máximo de oxigénio, isto é, o máximo de oxigénio que o corpo consegue metabolizar para realizar uma actividade, basicamente, por miúdos, é um avaliador da nossa capacidade aeróbica. Se ela quebra, isso reflecte-se na nossa  energia, ficamos mais cansados. Outra coisa que acontece quando paramos de praticar desporto, é que as mitocôndrias perdem-se, e elas mais não são, substâncias que permitem que o oxigénio se converta em energia para os músculos (por isso é que oxigénio vem acima da hidratação). Para evitar isto, se precisarem de um tempo para parar o desporto, pensem que depois quando voltarem vai ser mais difícil recuperar este processo, demoram mais tempo a recuperar as mitocôndrias, basicamente param mais de 5 dias é logo caminho andado para subir um lance de escadas e chegar com a língua de fora.

 

3)Desvaneios/Compulsões alimentares.

Chega a uma altura em que começam a cansar-se de comer só brócolos, arroz branco, batata doce, frango... Comem guloseimas, preferem não perder tempo a fazer papas de aveias e pegam no chocapic e vai mais rápido. A verdade é que manter um padrão de alimentação limpa e cuidada não é fácil, exige dedicação, tempo e criatividade, porque sejamos sinceros, comer todos os dias papas de aveia ao pequeno almoço pode cansar e dá trabalho, mas depende da pessoa. Há quem adore papas de aveia, mas é criativa e pode comer todos os dias e fazer de forma diferente. Ora mas há sempre um dia em que não vos apetece preparar assim um prato nutritivo e pronto, comem uma sandes ou pedem uma pizza, ou vão ao take away. Claro isto não é grave, grave é quando o fazem durante um longo período de tempo, e até continuam a fazer desporto, mas continuam a comer sem preocupações... Cansou, faço exercício e queimo tudo. Apesar de queimarem sim, a verdade é que não oferecem nutrientes adequados para a prática desportiva, um panik de chocolate ou uma panqueca de aveia com chocolate com 75% de cacau sabem os dois igualmente bem, mas em termos de energia disponível, a panqueca da-vos, aliada a outros benefícios. Eu já falei sobre compulsões alimentares e é bom relembrar. Ter uma alimentação saudável, para ser prática no dia-a-dia não é fácil, mas não é impossível. Não deitem o trabalho a perder por um pacote de bolachas, não se esqueçam que podem sempre fazer cheat meal, ou cheat day. O ideal é : Não façam desporto para comer!

4) Irritabilidade/Depressão

Já todos conhecemos aquela sensação de bem-estar pós exercício. Certo? Claro. Quando fazemos desporto, produzimos as hormonas que nos permitem estar felizes e bem-dispostos, as belas das endorfinas. Se pararem tanto tempo, obviamente que não há a produção dessas meninas. Convém não abusar delas, mas não é preciso cortarem a vossa "droga", porque vão andar mais irritados, furiosos com o mundo, querem bater no vizinho, no cão, no gato e até falam para os móveis... Vão dar uma corrida, levantar pesos que a tristeza passa, ou então façam um burpee, tão depressa estão em baixo como em cima.

 

5) Tensão alta.

 

Em dias em que estamos mais parados, a tensão arterial tende a ser mais elevada. Já ouviram a frase "Eu tenho tensão de atleta?" Tensão de atleta é uma tensão a tender para a baixa, ou o mais normal possível. Eu posso dizer que sofro desse mal de tensão baixa, sempre tive, porque sempre fui activa. A minha tensão anda nos 10, 11 e não muito mais que isso.

Imaginemos que paramos duas semanas. Os vasos sanguíneos adaptam-se ao estilo de vida sedentário, e como consequência as artérias e as veias ficam mais endurecidas, logo, obviamente a pressão arterial atinge um nível similar ao de alguém cuja vida é sedentária. O ideal é voltar a praticar desporto, porque com isto o coração trabalha mais, logo há mais bombeamento de sangue, logo os vasos sanguíneos ficam mais flexíveis e a pressão arterial diminui.

 

6) Flacidez e aumento de gordura.

Se paramos tanto tempo, é normal que o metabolismo abrande certo. Dormir e descansar e mais nada. Nem pensar subir escadas, vai-se de elevador e quê? Atravessar a passadeira a 100 metros, cruzes que medo...Se param de estimular os músculos o que acontece, ficam mais moles... Não há estímulo começam a perder massa magra, óbvio, e o que ganham? Isso mesmo, flacidez. Perdem peso sim, mas ficam com um aspecto mole sem graça, tudo abana... Não há nada como um braço durinho, uma barriga durinha (não tem de ser definida nem super lisa, mas já vi homens e mulheres com algum peso a mais mas com uma região abdominal forte porque treinam...). Podia dar exemplos de pessoas que pararam de fazer desporto mas manteram uma alimentação saudável, porém ficaram mais leves e com aspecto de mais pesadas porque simplesmente ganharam gordura e perderam músculo. O músculo ocupa menos espaço. Eu dou um exemplo, mantenho o mesmo peso, mas as calças estão mais largas, visto praticamente um 34 de calças... Mas é músculo, porque estímulo muito as pernas. No entanto tenho os braços, não são tão trabalhados, tem um aspecto magrinho e mais flácido... Entendem? 

Há muitas consequências de se parar o desporto. Não digo todos os dias devem treinar, até porque eu treino 4 x . Mas não parem, mexam-se mesmo nas lides da casa, no trabalho. Tudo é válido. Ser sedentário é pior que alguém que fume e pratique desporto acreditem...

Fazer desporto, ser activo é algo natural da pessoa, do ser mortal comum. Os homens das cavernas não tinham TV, não tinham wi-fi,não tinham supermercados... Get it? Eram top definidos :D Claro também faziam cutting o ano inteiro ^^. O que quero dizer é, saiam do sofá, façam um bolinho, façam exercícios,passem o cão, passem o porco da índia, brinquem com os filhos... Ser sedentário é escolher ser infeliz, é escolher morrer numa cama de hospital, é preferir andar a comprar mil medicamentos, é escolher ficar num lar a apodrecer, é escolher andarem furiosos com a vida, desanimados, infelizes, sem amor próprio... 

Querem viver bem e com qualidade? Façam desporto e comam bem, isto é ser feliz e ser saudável, porque ser fitness não é ser todo definido, é ter a escolha de respeitar o corpo e a vocês mesmo, é dar qualidade de vida à mente e aos que vos rodeiam.

gru.jpg

Beijinhoss ****

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D