Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aquela Runner Obcecada

Aquela Runner Obcecada

E é isto...

Bem após uns meses sem publicar cá estou eu a dar notícias. Boas? Nem tanto mas vamos lá.

 

 

Quem me tem acompanhado, amigos e atletas, sabe que os últimos meses tenho andado lesionada, no entanto a correr igual. Pois bem... Cá estou eu a dizer que após quase 7 meses a correr com dores, atingi o pico máximo da dor e vejo-me obrigada a parar de correr e a iniciar tratamento de "choque". Após um mês de fisioterapia sem sucesso, pois fiquei pior do que estava inicialmente, eis que me vejo impossibilitada de correr. O resultado é uma ruptura grande no vasto externo(gémeo esquerdo) com uma quantidade significativa de líquido sinovial a par com dois quistos gigantes no joelho. E para comaltar esta panóplia de lesão, eis que consigo arranjar mais uma, pois uma nunca é demais. Uma contratura/microrutura na coxa direita. 

Foto de Miguel Moura.

"Ultima prova na palhaça. Foto do grupo. Podem ver que tenho uma ligadura na perna"

Porquê?

Sou teimosa como o tamanho do mundo. Decidi fazer uma meia maratona há duas semanas, sim consegui bater RP nos 21 km, com 1'35 mas consegui que a semana a seguir ganhasse novas dores. No fim de semana passado fiz uma prova distrital de estrada na palhaça que decidi fazer por descarga de consciência, uma vez que se não fosse a equipa de femininos precisava de mais um elemento para pontuar. Era uma prova fácil, fácil... No entanto as dores que tive durante toda a prova são inexplkicáveis. Senti-me mal, tinha pulmões, a vontade mas o corpo dava sinais de querer parar a todo o instante. Tive um problema com os atacadores e tive de parar para os atar que foi o agravamento da situação. A paragem repentina foi fulcral para o acentuar das dores e vi-me mesmo a chorar em plena prova com a dimensão das dores...

meia lisboa.jpglis.jpg

 

 

 

15046949_1883774965176020_3545775229773021184_n.jp

 

Mas como desistir não faz parte do meu vocabulário decidi correr com o coração e tentar enganar a dor. Assim foi durante toda a prova. Decidi focar os meus pensamentos no futuro. E penso que foi a minha resiliência que me deixou concluir a prova..

Após a meia maratona tomei a dificil decisão de parar de correr, porque não estava a ser sensata. Nem nunca o fui. Ignorei o corpo desde que fiz o meu trail em Abril.

Foto de Hernani Amaral.

Foto de Hernani Amaral.

Estava mesmon a sofrer na prova. Na última semana andei a mancar e não corri nehuma vez.

Sou muito determinada e quando meto na cabeça um objetivo vou atrás dele, doa a quem doer. Mas como sei que ponto isto iria atingir decidi bater com a cabeça e olhar para o mal que me tenho feito.

Antes de fazer a meia maratona decidi procurar um fisioterapeuta. Viu o meu exame e só me perguntou como é que tenho força para sequer dar uma volta à pista. Quando lhe disse que tinha duas provas para fazer fez de tudo para me impedir, inclusive dizer-me que corria o risco de nunca mais voltar a correr dado o meu problema também na coluna, que como muitos de vocês sabem, tenho titânio na coluna que afecta tudo o que faço diariamente, quanto mais correr...

 

Então após este desabafo.. Após meses a fazer provas a meio gás, com dores, em tempos de treino.. Decidi pôr o ponto final.

 

Então o que temos para 2017 ...

 

Mudanças a vários níveis, com o tempo irei partilhar convosco a reviravolta que vai ser a minha vida, mas para já os objectivos de 2017 serão:

-fazer tratamento adequado a todos os problemas;

-vou ser operada às costas (ainda não sei quando) para retirar o titânio;

-mal esteja bem treinos irão ser feitos de acordo com os planos de treino do ginásio e do treinador na pista (ou seja não há cá abuso na quilometragem nem em passar 3 horas no ginásio)

-dedicar mais tempo ao descanso (isso envolve em treinar menos e dormir mais);

-alimentação correta (nada de dietas malucas sem hidratos de carbono)

 

CORRER SEM DORES E SER FELIZ !!!

 

Ser sub 40 nos 10 km ... Porque eu mesmo lesionada senti que se estivesse bem fisicamente este teria sido o ano em que podia ser sub 40, pois lesionada os meus tempos nos 10 km foram de 42 a 43 minutos... Ou seja lesionada consegui fazer estes tempos (mas com dores horriveis, em sofrimento) pergunto-me se estivesse bem qual o tempo que faria estando bem e em forma.

 

Eu não quero ser nenhuma atleta profissional, tem tudo a ver com uma questão de auto-realização... E eu quero provar a mim, não a terceiros que sou capaz de alcançar este objectivo pois sou determinada e sei que fazê-lo vai me fazer ser uma pessoa mais forte e resiliente perante a vida...

 

 

E pronto foi isto :) 

 

 

Com o tempo dou novidades e se tiverem ideias de conteudos para escrever estejam à vontade .

 

****

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D